quarta-feira, 9 de abril de 2014

Xamanismo – Origens

DEFINIÇÃO

Defini-se o XAMANISMO como um conjunto de crenças ancestrais que estabelecem contato com uma realidade oculta, ou estados especiais (alterados) de consciência, a fim de obter conhecimento, poder, equilíbrio saúde para si mesmo e para as pessoas.
Não é só um conjunto de  práticas de rituais e cerimônias, e sim uma forma de vida, uma nova visão do mundo, obtida através de iniciações, no caso do XAMÃ ou de práticas de cura, para os que abraçam esse caminho como um dos processos de cura, autoconhecimento e conexão com tudo a natureza, o planeta e tudo que faz parte do cosmo.


BUSCA DA DEFINIÇÃO



Atualmente o xamanismo pode ser dividido em duas escolas: O xamanismo tradicional, que segue as tradições nativas e o neo-xamanismo que adapta a essência com práticas terapêuticas e de linhas diversas numa realidade urbana.
È certo que nos distanciamos muito da Natureza, nos últimos séculos de nossa história e de seus preciosos ensinamentos, da sabedoria contida em todos os seres vivos que nos rodeiam. Então a busca do conhecimento xamanico está nos povos primitivos do planeta e, se feita sob uma perspectiva universal, podemos integrá-la aos ensinamentos contidos nas diversas práticas religiosas do planeta hoje.
Viemos todos de uma mesma fonte de luz universal e os antigos sabiam disso.
O xamanismo não se refere apenas à espiritualidade indígena. É certo que os indígenas foram os grandes responsáveis por manterem acesas as chamas da Medicina da Terra.  Mas as práticas se originaram no homem primitivo, no paleolítico, no momento em que o homem começa a observar os movimentos e mudanças na natureza e a necessidade de adaptar-se a isso.
A palavra foi criada por antropólogos para definir um conjunto de crenças ancestrais e um caminho de autoconhecimento. Tem origem siberiana e não americana e é usada hoje como uma forma única para descrever as práticas no mundo todo. Ou seja, as práticas são universais, é um legado do Mundo Espiritual para a Humanidade. Não pode haver fronteiras.


AS RAÍZES DO XAMANISMO




As raízes do xamanismo são arcaicas e alguns antropólogos chegam a pensar que elas recuam até quase tão longe quanto a própria consciência humana. Datam de 40.000 a 50.000 anos, na Idade da Pedra.
Os antropólogos encontraram sinais nas  Grandes religiões das Américas, África, Austrália, Esquimós, Indonésia, Sibéria, ao redor da Europa, no Tibet e em todos os lugares ao redor do mundo .
Hoje vemos o xamanismo como um conjunto de práticas adaptadas a cada cultura,  que transcende fronteiras geográficas e de tempo, mas mantem a mesma essência, e assume um caráter universal e o reconhecimento que todos fazemos parte da Família Universal e tudo está interligado. 


OS ANCESTRAIS





Nossos ancestrais xamânicos viviam em perfeita harmonia e equilíbrio com todos os seres vivos na natureza, garantindo a sua sobrevivência através da compreensão dos sinais de mudanças que ocorriam naturalmente ao seu redor, como os ciclos do sol e da lua, do vento e da chuva, da vida animal e vegetal.
Eles representam nossa vida passada e os registros de sua caminhada na terra estão presentes em nossas vidas através do nosso genes, de nossas células, influenciando nossa forma física, comportamento, inconsciente, nossa energia, nossa forma de perceber a realidade  e encontrar sabedoria para caminhar no futuro. Somos o resultado da caminhada anterior de milhares de pessoas que viveram, aprenderam, criaram e ensinaram.
A raiz ancestral é tão profunda que pode alterar o destino dos descendentes. A reconexão com ela nos leva a acessar nossa herança genética, modificando os padrões negativos e curando nossa árvore genealógica.

FONTES:
Livros :
-  Xamanismo – Origens e Mistérios – M. A. Czaplicka
- As Cartas do Caminho Sagrado – Jamie Sams
SITE:
www.xamanismo.com




Hélder Viviane Teles
Ministra do Meio Ambiente

Nenhum comentário:

Postar um comentário