sexta-feira, 1 de abril de 2016

Quando os Mestres Ascensos nos orientam a fazer algo, aparentemente sem sentido diante da nossa visão que ainda é tão limitada pela densidade física, devemos ter confiança na orientação do Guru. Há 20 anos trabalho espiritualmente e já vi muito disso acontecer. Por exemplo, quando o Buda da Evolução, o Senhor Maytreia, me disse: "Abra as postas de sua casa e receba todos que vierem", eu não exitei, não tive dúvidas em obedecê-lo, confiei no seu amor e em sua sabedoria e hoje estamos aqui como Templo Universal Despertar. O mesmo acontecera anos antes, quando mesmo trabalhando com cura desde criança  (sou um curador nato),  o Guru tocou em meu coração e me levou a fazer curso de terapias no qual encontrei a mestra Ana Nardini. Outro exemplo é quando o Guru, no meu último ano letivo, me orientou a sair da escola aonde eu estudava e ir a outra,  uma que eu nem tinha muito conhecimento, e lá encontrei os primeiros fundadores do nosso Templo. 
É, tenho muitas e muitas histórias e posso dizer que em 20 anos o Guru nunca me abandonou,  pude sentir no seu amor constantemente,  nos melhores e piores momentos. Nunca me mimando e nem caminhando por mim,  mas ao meu lado me instruindo. Mestres não dispõe  sua superioridade ao nosso lado para nos mimar como mimamos nossos animais de estimação.  O Guru nos da ferramentas para que trabalhemos de forma a encontrar o nosso tesouro secreto,  nos orienta dentro do laboratório alquímico de nossos corações e mentes para que encontremos a pedra filosofal,  trabalho que dura encarnações de nossa alma imortal.
Quando num trabalho na onda certa ou uma suposta informação que recebemos do guru não vigora temos que refletir sobre algumas questões:
- Era realmente a voz do Guru a lhe orientar ou era a voz dos seus próprios desejos?
- Qual foi seu pensamento semente em executar a obra?
- O quão você  realmente crer no Guru? O quanto foi rigorosamente obediente as instruções recebidas?
Os Mestres Ascensos não mudam de opinião, porém possuem uma sabedoria ainda incompreendida por nós. Eles não vão nos jogar de um canta à outro sem nenhum sentido.  Não vão nos fazer gastar energia à toa. Quando seguimos suas instruções, com fé, vemos os resultados.  
No Despertar, um dos meus iniciados me contou que, certa vez,  antes de sair de casa ouviu em seu coração (o coração é  o espaço sagrado aonde os Mestres se comunicam,  se o recinto interno estiver bagunçado, não espere receber pessoas ilustres) "leve o guarda chuva",  não parecia que iria chover naquele dia, mas este discípulo foi obediente (isso se chama Obediência Divina, qualidade perfeita dos iluminados da Hierarquia de Touro).  Descendo a escada da instituição  em que trabalha levou um escorregão,  o acidente seria feio,  e  o que salvou este discípulo do acidente foi o cabo do guarda chuva.
O agora podemos observar como isto acontece agora no começo de nosso trabalho com as crianças (que acontece todas as sextas-feiras, a partir das 19:30h, na nossa sede no Tirol). Antigamente havia uma preocupação dos Iniciados que foram orientados a começar o trabalho com crianças que não tínhamos crianças frequentando o Templo e portanto não daria certo. Contudo, a sala preparada e as pessoas comprometidas para realizar o trabalho,  o Senhor enviou suas crianças.  
Namastê!


Mestre Ferdinando Taveira
Vigário do Templo Universal Despertar



Nenhum comentário:

Postar um comentário